[Fanfic] Baby Steps - Capítulo 2

Nota: História narrada por Nichkhun
Sabe, tudo aquilo que a Tiffany escreveu ontem à noite, na verdade era uma carta (acho que você leitor já descobriu isso) para mim, que ela sabia que não chegaria até minhas mãos... Ou pelo menos pensava assim, antes de me dar conta que a carta simplesmente sumiu da mesa onde havia colocado na noite anterior. Sem perder tempo, ela questiona às suas colegas de quarto se elas não viram um pequeno envelope azul que estava na escrivaninha dela. Elas alegam não saber de nada a respeito do assunto, mas trocam olhares e Tiffany sente como se elas estivessem escondendo algo minuciosamente precioso.
A garota mal faz ideia que suas amigas viram a carta e me entregaram secretamente, e por isso, agora, nesse exato momento eu estou lendo linha a linha, todas as suas mais sinceras palavras, que refletem seu estado nos últimos tempos. Me emociono ao ler cada uma delas, e pela primeira vez em meses, eu me deixo levar pelas emoções, sensações, por aquele momento único, que é somente meu. Leio atenciosa e pacientemente, mas cada vez mais parece que as imagens daqueles dias voltam a invadir meus pensamentos. Agora entendo como ela se sente e o que quer dizer quando diz que “o nosso hoje pertence ao amanhã”. No começo, quando ela me disse isso, eu pouco entendia o significado desta frase, pois apenas achava que cada dia era um dia e nada mais. Mas a veracidade nestas palavras é das maiores possíveis: aquilo que fazemos hoje serão as lembranças que carregaremos no coração amanhã. E por isso ela está assim, triste, sem rumo, apenas pensando no fim que tivemos. Lamento imensamente por tê-la feito passar por isso; não quero que ela chore, não quero vê-la triste, com lágrimas a escorrerem em seus olhos. Quero ver o seu semblante alegre, solene, suave uma vez mais. E num breve instante, percebo que deixo uma lágrima cair.
Ela ainda me quer. Ela quer uma chance a mais. Ela não me esqueceu sussurro para mim mesmo
Ao término da carta, ainda estava tomado pelas emoções, seco minha lágrima e decido ligar a uma das amigas dela, perguntando por ela. Descubro que ela está em casa, em seu quarto, e decido surpreendê-la indo até ela. Quero que compreenda que o que sinto por ela nunca mudou, e que meu coração pertence a ela, assim como nunca deixou de pertencer.
Minutos depois eu chego a seu quarto, que está da mesma forma. Dou um passo a frente, e ela também, hesitante. Ela me olha incrédula de que eu estou bem ali, em sua frente. Seus olhos estão fixos em mim, mas ela ainda hesita. Percebo isso em sua face, branca como a neve, mas também em suas palavras:
Como... assim... e tomando fôlego ela indaga Você está aqui?
Eu balanço a cabeça afirmativamente, mas ela ainda está em “transe”e apenas diz:
Isso é um sonho, não é? Eu estou...
Ela não termina a frase, pois eu me aproximo cada vez mais dela, com passos leves e firmes, dizendo-lhe:
Não, querida, eu realmente estou aqui. Acredite Tiffany, eu te amo, sempre amei, e quero lhe dar uma chance a mais. Uma chance a nós. as palavras soam firmes e decididas de minha boca.
Ela está mais consciente, parece que finalmente se convenceu que é real. Ela dá passos pequenos e trêmulos. Com cuidado, se aproxima de mim. Ela está insegura, mas mal sabe ela, o quanto eu espero por seus passos, sua reaproximação. Eu não me afastarei, não me distanciarei, não fugirei dela. Eu apenas a esperarei, porque eu a amo, e não desejo perdê-la novamente. Ela é preciosa demais para ser deixada para trás. Eu sei disso, tenho certeza.
Aos poucos, passo a passo, ela se aproxima, até finalmente chegar perto o suficiente de mim, e logo acaricio sua mão, pequena e delicada. Estamos frente a frente, ambos sem reação por uns segundos. Decido tomar a frente e lhe dizer:
Tiffany... Confie em mim. Vai dar certo. eu estava confiante Você acredita que podemos ser felizes uma vez mais, certo? Porque eu sei que podemos começar de novo, querida. Eu desejava saber logo o que aquela garota que eu amo tanto me responderia, mas não bastou nem dois segundos para ela se manifestar e dizer:
Sim, eu acredito, sempre tive esperança. E agora tenho plena certeza que pode dar certo. E uma nova chance é tudo pelo que eu mais anseio, Nichkhun.
E ao ouvir essas palavras, me emocionei ainda mais. E com todas as minhas forças e sentimentos, eu a abracei da forma mais intensa que encontrei, e percebi que ela tinha um sorriso esboçado no rosto ao sentir o meu corpo contra o dela.
Ela então me encarou por alguns instantes, e me disse, um pouco ofegante:
Seu calor... E esse seu abraço... continua o mesmo, como costumava ser
Sim, como costumava ser eu reafirmei Mas agora tudo será muito melhor, porque nunca mais deixarei você partir disse sincera e docemente a ela, acariciando-lhe seu rosto de leve e fitando-o intensamente.

Então era isso. Eu lhe dei uma chance, e ela aceitou. Agora teríamos nosso futuro juntos, e sem mais lágrimas (a não ser as de felicidade).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

William Shakespeare:Romeu e Julieta-Trecho; A "Cena do Balcão", Ato II, Cena II

Yuki Furukawa (古川雄輝)

A Viagem de Chihiro - As Metáforas por trás da História