[Fanfic] Hotaru


“Te ni shitaku naru
Furete mitaku naru
Anata wa kono hotaru no you”

“Quero te ter em minhas mãos
Quero tentar te tocar
Você, que é como esses vagalumes”.

Tamaki-san....Ou melhor, Princesa Tamayori.
À  primeira vista eu já percebi o quanto ela é amável. A partir de então, não me recordo de quantas vezes ela me salvou com um sorriso, e com pequenos gestos, capazes de transformar o meu humor e autoestima. Me dei conta da sua plena sinceridade e honestidade quando ela quis saber mais sobre nós Guardiões, em uma noite de luar como esta, apenas com uma mínima diferença: Exatamente hoje, observa-se vagalumes por aqui, o que não se vê todos os dias, e por isso fazem uma enorme diferença.  Agora me permitam dizer algumas singelas palavras a respeito da Princesa:
“Ela é como estes vagalumes... Pequena, frágil, sensível, mas nos ilumina grande e incomparavelmente” Sim. É assim que eu a descrevo sempre que penso nela ou olho para ela. Ela é capaz de encontrar a alegria onde nós menos imaginamos que há, e enxergar o melhor da situação, enquanto nós apenas nos lamentamos por algo que já está feito e que o tempo não trará de volta. Ela, que apesar da necessidade de ser protegida, por conta de sua fragilidade, também tem uma força e uma luz que são mais que o suficiente para que possamos seguir em frente, com a certeza de que venceremos.
Por isso eu digo com todas as letras que: “O brilho de um vagalume pode ser algo extremamente natural para certas pessoas, mas extremamente intenso e valioso para outras. Assim é o brilho dela, assim é o seu sorriso que me salva sempre que preciso.” Essas palavras definem aquilo que penso das pequenas ações dela (como sorrir) em relação a mim. Atitudes que valem bem mais do que qualquer outro bem que se possa achar (artefatos místicos, talvez?) e por esse motivo, eu as prezo imensamente.
No começo, eu a vi apenas como a Princesa, ou como uma “irmã mais nova”, mas depois comecei a vê-la com outros olhos, como mulher. Penso nela, em seu rosto, que se instalou em minha mente.

Percebo-me pensando: Está bom assim? Não, quero tocá-la ternamente. É o suficiente a mim? Não quero mirá-la um pouco mais. E agora? Ainda não. Quero tê-la em minhas mãos. Quero sentir seu calor e alcançar seu coração. Ela, que é como esses vagalumes a iluminar a noite. Ainda não sei seus sentimentos em relação a mim, sendo assim, quanto mais eu a desejo, mais me dói, mas não consigo deixar de amá-la por isso. Sentimentos são tão íntimos e misteriosos, que às vezes parece impossível decifrá-los, mas quero verdadeiramente desvendá-los. Então, Tamaki, esteja pronta para quando este dia chegar, porque você também terá inúmeras surpresas a te esperar. E lembre-se sempre, quando precisar, seja onde for, se me chamar, eu imediatamente irei até você, a minha única e mais preciosa Princesa. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

William Shakespeare:Romeu e Julieta-Trecho; A "Cena do Balcão", Ato II, Cena II

Yuki Furukawa (古川雄輝)

A Viagem de Chihiro - As Metáforas por trás da História