Pular para o conteúdo principal

[Cúmplices de um Resgate] 5 Motivos para amar a Manu!

Manuela Agnes (Larissa Manoela) mora com sua mãe Rebeca, sua tia Helena e sua avó Nina (que faz os melhores bolos que existe) Recebe muito carinho da família e por isso tornou-se uma garota extremamente dócil 

Aqui vão alguns motivos para amá-la:

1 - Super carinhosa: Manu (como é conhecida) é muito gentil e carinhosa com todos que a cercam e por esse motivo é querida por todos no vilarejo. É conhecida por sua meiguice para com as pessoas. Adora abraçar aqueles que ama e acariciar animais de estimação.

2 - Prestativa e amiga: Ajuda a toda e qualquer pessoa que necessite dela, sem pensar duas vezes. Manu também é muito companheira, tanto com seus amigos quanto com os animais de estimação (Manteiguinha e Tuntum). Mesmo com o temperamento forte da irmã Isabela, Manuela sempre está disposta a ajudá-la a qualquer custo, especialmente em momentos difíceis, nos quais ambas tem de unir suas forças para vencer.

3 - Tem muita fé: Manuela ora para Deus com frequência e pede para que tenha forças para seguir em frente. Também ora muito por quem ama, incluindo Isa.

4 - Sincera: Manuela aprendeu com a família que sempre deve dizer a verdade, por isso, é extremamente sincera, principalmente com sua mãe, Rebeca. Não consegue esconder a verdade de alguém, especialmente a respeito de seus sentimentos.

5 - É muito talentosa: Manuela é estrela principal da banda do vilarejo "Manuela e seus Amigos" e encanta a plateia com sua voz doce, suave, e ao mesmo tempo, repleta de energia. Com o passar do tempo, quando substitui Isabela nas audições, ela impressiona a todos da gravadora com seu talento, o que alegra os responsáveis pela banda e faz os mesmos desejarem Isabela como vocalista. De outro lado, isso desperta grande ciúme e inveja em Priscila, concorrente de Isa.

Escutando: Fugir Agora
Assistindo: Cúmplices de um Resgate
Comendo: Bolo
Bebendo: Chá

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Alma minha gentil, que te partiste - Análise

Alma minha gentil, que te part iste   (A) Tão cedo desta vida desconte nte , (B) Repousa lá no Céu etername nte , (B) E viva eu cá na terra sempre tr iste.(A) Se lá no assento Etéreo, onde sub iste , (A) Memória desta vida se conse nte , (B) Não te esqueças daquele amor arde nte, (B) Que já nos olhos meus tão puro vi ste . (A) E se vires que pode merecer -te (C) Algũa cousa a dor que me fic ou (D) Da mágoa, sem remédio, de perder- te, (C) Roga a Deus, que teus anos encurt ou, (D) Que tão cedo de cá me leve a ver -te,   (C) Quão cedo de meus olhos te lev ou. (D) * Algua cousa = alguma coisa Autor: Luís Vaz de Camões Análise No poema, o "eu lírico" lamenta pela perda da amada, como pode se ver nos versos:  "Algũa cousa a dor que me ficou/Da mágoa, sem remédio, de perder-te" O "eu lírico" amava tanto a garota que ficou triste ao perdê-la, e lamenta a respeito disso: "Alma minha gentil que te partiste" e reza para que ela esteja feliz

O macaco e a banana

Um macaco estava comendo uma banana que escapou da sua mão e caiu no oco de uma árvore. Irritado, o macaco desceu da árvore e disse a um pedaço de pau: -Ô seu pedaço de pau, me ajuda a apanhar minha banana. O pedaço de pau não lhe deu a menor atenção. Furioso, o macaco foi até o lenhador e lhe disse: -Ô seu lenhador, venha mandar o pedaço de pau para me ajudar a apanhar minha banana que caiu no oco da árvore O lenhador não ligou para ele. Exasperado, o macaco procurou o delegado e lhe disse: -Ô seu delegado, venha mandar o lenhador ir até a floresta para mandar o pedaço de pau ajudar a apanhar a minha banana que caiu no oco da árvore. O delegado não obedeceu. O macaco foi até o rei pedir que ele mandasse o lenhador até a floresta para mandar o pedaço de pau ajudar a apanhar a banana que tinha caído no oco da árvore. O rei não lhe deu atenção. O macaco foi atrás da rainha. A rainha não lhe deu ouvidos. O macaco foi até o rato pedir que ele roesse a roupa da rainha. O rato se r

A Viagem de Chihiro - As Metáforas por trás da História

A Viagem de Chihiro é uma das obras primas mais famosas de Hayao Miyazaki, e que mais ganhou premiações pela história bem elaborada. Chihiro é uma menina de dez anos, que, por casos da vida, entra em um túnel com os pais (que por sinal, estavam curiosos para saber onde a passagem ia dar) e acaba parando em um mundo paralelo, cheio de mistérios e criaturas mágicas. Sen to Chihiro no Kamikakushi ( 千と千尋の神隠し , nome original do filme) é, na verdade um jogo de palavras. Sen é uma palavra que tanto pode fazer referência ao nome que a protagonista, Chihiro, adquire durante o filme, ou "mil", "muitos" ou ainda "múltiplos". Além disso, a junção das duas primeiras palavras forma "Sento" , que significa "Casa de Banho", onde a maior parte da história se passa. O filme é composto de diversas metáforas e simbolismos tais como: A metáfora dos porcos, quando os pais de Chihiro vão ao restaurante com a menina e são tranformados em porcos - Iss