Pular para o conteúdo principal

Rebeca Arimi Suzuki

Rebeca Arimi Suzuki

Empreendedores faturam R$ 300 mil com delivery de saladas em favelas

Da revista Pequenas Empresas Grandes Negócios 
Os serviços de entrega de saladas, que começaram a aparecer no Brasil nos últimos anos, oferecem uma opção de comida saudável a pessoas sem muito tempo. No entanto, cobram valores que podem ser proibitivos para pessoas mais pobres cobravam. Pois o Saladorama, um negócio social criado no Rio de Janeiro em março deste ano, nasceu com o propósito de universalizar o acesso à alimentação saudável. E de, inclusive, oferecer as saladas a preços mais baixos para quem mora em comunidades. Hoje, presente na capital fluminense e em Recife (PE), a meta do Saladorama é chegar a todos os estados brasileiros até o fim de 2018.

A inspiração para um negócio pode surgir de qualquer lugar. A do Saladorama veio de uma lasanha de berinjela. Explica-se: quando trabalhava em um coworking carioca, Hamilton Henrique, 26 anos, sempre via pessoas comendo o prato. Ele, morador de São Gonçalo, na região metropolitana do Rio, nunca tinha ouvido falar na tal lasanha.

O episódio fez com que Henrique refletisse sobre a falta de acesso a opções de alimentação mais saudável dentro das comunidades. A partir daí, surgiu a ideia do negócio. Posteriormente, a nutricionista carioca Mariana Fernandes, 22, e a designer e engenheira recifense Isabela Ribeiro, 25, entraram na sociedade.

Antes da abertura oficial do Saladorama, há sete meses, o projeto foi acelerado pela Yunus Negócios Sociais Brasil, organização ligada a Muhammad Yunus, guru desse tipo de empresa e vencedor do Nobel da Paz em 2006.

Hoje, o Saladorama funciona como um negócio social genuíno. Todo o lucro obtido com o Saladorama é reinvestido, a fim de ampliar a atuação da empresa. Os sócios ganham apenas um salário. "Os ganhos são um pouco mais atrativos que a média de mercado. De modo geral, recuperamos apenas o que foi gasto no investimento inicial do negócio", diz Isabela.

A primeira unidade do Saladorama foi inaugurada em São Gonçalo, cidade natal de Henrique. Depois, a empresa inaugurou sedes na Favela Santa Marta, no Rio, e no bairro Nova Descoberta, em Recife. Os interessados nas saladas podem recebê-las por delivery, dentro ou fora dessas comunidades, e encontrá-las em academias, lojas de conveniência e coworkings, dentre outros locais.

O Saladorama tem dois tipos de salada. O primeiro é o tradicional, vendido em embalagens de 500 ml ou 700 ml. No total, a empresa oferece 45 itens. Desse total, os clientes podem escolher cinco ingredientes para as saladas menores, ou oito para as maiores. A refeição custa entre R$ 15 e R$ 20. Também é possível fazer assinaturas mensais, o que faz o preço por salada ser menor. Cada uma custa entre R$ 12 e R$ 16,25.

Há também uma modalidade mais barata, voltada para os moradores das comunidades. São quatro tipos de saladas, vendidas em embalagens de 500 ml por R$ 9.

Além das saladas, o Saladorama vende por R$ 7,50 uma opção de lanche, voltada para crianças, composta por um suco natural, um carboidrato e uma sobremesa saudável. Por fim, a empresa tem molhos no valor de R$ 10. Os condimentos vêm em embalagens que têm poemas de artistas de rua, que ganham R$ 2 a cada molho vendido. Vale ressaltar que todos os produtos são totalmente orgânicos.

Aceitação
Isabela afirma que, normalmente, as pessoas das comunidades costumam priorizar o consumo de arroz, feijão e carne em suas refeições. A salada, quando presente, é um acompanhamento a essa combinação predominante, e só tem alface, tomate e cebola. Ao mostrar que a salada pode ter muito mais ingredientes e não custar caro, a aceitação é alta. "A comunidade vê valor na proposta de levarmos uma alimentação saudável até ela. E compra essa ideia."

A aceitação se reflete nas vendas da empresa. A sócia afirma que 40% do total das saladas vendidas são consumidas pelos moradores das comunidades. A maior parte dos funcionários do Saladorama também vem das regiões em que estão as unidades da empresa.

Atualmente, o faturamento anual do Saladorama é de pouco mais de R$ 300 mil. Para o futuro, os sócios não falam de meta de faturamento, mas planejam que suas saladas sejam consumidas por 50 mil pessoas neste ano. Em 2018, o negócio social planeja chegar a 1 milhão de clientes. "Nosso grande sonho é que todos os estados possuam ao menos uma base nossa até lá", afirma Isabela.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Yuki Furukawa (古川雄輝)

Perfil
Nome: Yuki Furukawa (古川雄輝)
Data de nascimento: 18/12/1987 (27 anos) 
Altura: 180 cm 
Peso: 60 kg
Terra natal: Tokyo, Japão
Profissão: Ator e modelo
Agência: Horipro
Línguas: Japonês e Inglês

Facebook: Yuki Furukawa Oficial
Twitter: Yuki Furukawa Oficial
Instagram: Yuki Furukawa Oficial
Blog: Yuki Furukawa Oficial 



Sobre
Yuki Furukawa é um ator e modelo do Japão. Nascido em Tokyo, ele se mudou para o Canadá, em Toronto, com sua família, quando tinha apenas 7 anos de idade. Morou 11 anos no exterior, sendo que, com 16 anos, mudou-se por conta própria a Nova York (EUA), como um estudante de pesquisa durante dois anos.
Voltou ao Japão quando tinha 19 anos. Ao regressar, teve dificuldades ao se adaptar com a língua e a cultura japonesa, já que no Japão, falar inglês no dia a dia é considerado falta de educação. 
Durante o ensino fundamental, ele pertenceu ao clube de basquete. Cursou a universidade de Keio, com especialidade para Ciências da Engenharia. 
Seu pai é médico e investigador na área de me…

William Shakespeare:Romeu e Julieta-Trecho; A "Cena do Balcão", Ato II, Cena II

Ato II- Cena II

O mesmo.
Jardim de Capuleto
Entra Romeu

Romeu:Só ri das cicatrizes quem ferida nunca sofreu no corpo
Julieta aparece na janela
Mais silêncio!Que luz ecoa agora da janela?Será Julieta, o sol daquele oriente?Surge formoso sol,e mata a Lua cheia de inveja,que se mostra pálida, e doente de tristeza,por ter visto que,como serva,és mais formosa que ela.Deixa,pois, de serví-la.
Ela é invejosa.
Somente os tolos usam sua túnica de vestal, verde e doente;joga-a fora.És minha dama.Oh,sim!É meu amor!Se ela soubesse disso!Ela fala;contudo não diz nada.Que importa?Com o olhar está falando.Vou responder-lhe.
Não,sou muito ousado,não se dirige a mim.As duas estrelas do céu, as mais formosas,tendo tido qualquer ocupação,aos olhos dela pediram que brilhassem nas esferas até que elas voltassem.
Que se dera se ficassem lá no alto dos olhos dela,e em sua cabeça dois luzeiros?Suas faces nitentes(resplandecentes,brilhantes)deixariam corridas às estrelas, como o dia faz com a luz das candeias, e seus o…

A Viagem de Chihiro - As Metáforas por trás da História

A Viagem de Chihiro é uma das obras primas mais famosas de Hayao Miyazaki, e que mais ganhou premiações pela história bem elaborada.
Chihiro é uma menina de dez anos, que, por casos da vida, entra em um túnel com os pais (que por sinal, estavam curiosos para saber onde a passagem ia dar) e acaba parando em um mundo paralelo, cheio de mistérios e criaturas mágicas.

Sen to Chihiro no Kamikakushi (千と千尋の神隠し, nome original do filme) é, na verdade um jogo de palavras. Sen é uma palavra que tanto pode fazer referência ao nome que a protagonista, Chihiro, adquire durante o filme, ou "mil", "muitos" ou ainda "múltiplos". Além disso, a junção das duas primeiras palavras forma "Sento", que significa "Casa de Banho", onde a maior parte da história se passa.
O filme é composto de diversas metáforas e simbolismos tais como:

A metáfora dos porcos, quando os pais de Chihiro vão ao restaurante com a menina e são tranformados em porcos - Isso representa a…