[Análise] A Megera Domada - William Shakespeare


Primeira Parte - Introdução e Resenha 

Introdução 
A Megera Domada é uma comédia escrita por William Shakespeare, na qual o objetivo é satirizar alguns costumes e tradições de sua época. Vale lembrar que quando Shakespeare escreveu a peça, a Inglaterra estava sob o comando de Elizabeth I, a Rainha Virgem, sendo esse o contexto histórico da obra

Resenha 
(somente a trama principal)

A peça tem como centro a bela Catarina, chamada de Megera por ser temperamental e por isso, temida pelos homens. A trama principal é a respeito da conquista da Megera, para que possa casar.
A princípio, só há pretendentes para Bianca, a mais nova e muito cobiçada, porém, o pai deseja que a mais velha (Catarina) case primeiro. É então que surge Petruccio, que por sua vez, é muito esperto, e também, interesseiro.
Diante da proposta de Petruccio, o pai aceita que o mesmo case com a sua indomável filha. O casamento foi feito sem a permissão da garota, mas mesmo assim, corre tudo bem.
Logo depois do casamento, Petruccio promete que fará de tudo para a esposa ser feliz e não deixará que nada lhe aconteça. Isso faz com que Catarina se transforme em alguém dócil e obediente (muda da água para o vinho, literalmente) e em pouco tempo, o marido consegue domá-la.

Segunda Parte - Análise da obra

2.1 - Estrutura da obra 

a) Divisão 
A obra é formada por atos e cenas, típico do gênero dramático.

b) Rubricas
As rubricas indicam observações. Ou a respeito do que acontece na cena ou sobre quem entra ou sai de cena 

c) Diálogos:
As falas das personagens são em sua maioria, feita por rimas, o que dá ritmo à peça 

d) Antiguidade 
Shakespeare aponta, algumas vezes, escritores da Antiguidade, como Ovídio, por exemplo, até divindades gregas/romanas, como por exemplo Atena/Minerva, de modo a deixar a obra com uma forma mais bonita (apresentável) e poética.

e) Humor 
Shakespeare utiliza o bom humor para satirizar alguns fatos da época, tal como retratar algumas cenas. Por exemplo, ninguém imaginava que um dia iria aparecer alguém disposto a casar-se com a Megera Catarina, mas ao mesmo tempo que parece absurdo e hilário, o leitor consegue encarar como algo possível, devido ao bom humor usado por Shakespeare 
Outra coisa a se destacar é que o fato de Petruccio ser mais bruto e temperamental é uma forma de satirizar  os demais cavalheiros da sociedade (formais, gentis, delicados)

f) Personagens 
A maioria dos personagens (Bianca, pai de Catarina, criados, pretendentes, etc) são planas (não mudam a personalidade durante a trama). Entretanto, Catarina é esférica (muda a personalidade/comportamento) pois no começo ela é extremamente bruta e geniosa, e depois torna-se mais submissa, dócil e gentil


2.2 - Costumes e Humanidade

[Na obra, é possível fazer uma análise das tradições e dos comportamentos humanos]

a) Costumes da época
Em sua obra, Shakespeare retrata com clareza alguns aspectos da sociedade da época em que viveu:
♦ A tradição de a filha mais velha ter que casar primeiro
♦ A necessidade de pedir permissão ao pai para cortejar a filha
♦ A submissão da mulher em relação ao pai (patriarcalismo) e ao marido
♦ A noiva deveria dar o dote ao marido quando se casassem 

b) Amor x Casamento arranjado 
No início, o casamento de Catarina e Petruccio não tinha nada de emocional, uma vez que era apenas obrigação a filha casar-se cedo. Filosoficamente, é possível que se pergunte: "Será que existe amor nesse casamento?" Sim, é possível que tenha, mas só se pode presumir que exista alguma emoção nessa relação a partir do momento que a Megera vai se tornando mais meiga e dócil

c) Feminismo 
Catarina não quer se casar, pois não quer viver sob a tutela de um homem. Embora Catarina seja feminista (impor sua vontade) ela sozinha não consegue se sobrepor à tradição da época (se submeter ao homem, no caso seu pai, que deseja o casamento)

Extras 

Frases 

Comentários

  1. Parabéns pela análise. A minha filha está no sétimo ano e leu agora a Megera Domada e o seu trabalho a ajudou bastante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por comentar e visitar o blog. É muito gratificante saber que pude ajudar quem precisa. Abraços

      Excluir
  2. Adorei a análise, esclareceu muitas coisas, usarei algumas coisas,ok?! porém não se preocupe colocarei às devidas referências.

    ResponderExcluir
  3. Muito bom. Sou professora da Eja e estou trabalhando essa peça teatral. Ajudou bastante a leitura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não há de quê. É uma honra saber que lhe ajudou
      Desculpe-me a demora para responder

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

William Shakespeare:Romeu e Julieta-Trecho; A "Cena do Balcão", Ato II, Cena II

Yuki Furukawa (古川雄輝)

A Viagem de Chihiro - As Metáforas por trás da História