[Hoje na História] 26 de Maio

1896 - Czar Nicolau II é coroado 

Original: The History Channel 
Tradução por: Rebeca Arimi Suzuki 
Nicolau II, o último czar, é coroado soberano da Rússia na antiga Catedral de Ouspensky. 
Nicolau não foi treinado nem propenso para governar, o que não ajudou na autocracia que ele procurou preservar em uma era de desesperos por mudanças. Nascido em 1868, ele sucedeu o trono russo após a morte de seu pai, Alexandre III, em novembro de 1894. No mesmo mês, o novo czar casou-se com Alexandra uma princesa alemã de nascimento, que veio para dar grande influência ao seu marido.
Depois de um período de luto por seu falecido pai, Nicolau e Alexandra foram corados Czar e Czarina em maio de 1896. 
Tal como era o governo da Rússia, Nicolau resistiu às manifestações de reforma e procurou manter o absolutismo mesmo sem forças para executar tal tarefa. O desastre vem da Guerra Russo-Japonesa, seguida da Revolução de 1905
Em 1914, Nicolau liderou seu país em outra custosa guerra: A Primeira Guerra Mundial - e o descontentamento cresceu, assim como a comida se tornou escassa, os soldados cansados da guerra e as terras foram perdidas nas mãos da Alemanha, demonstrando a ineficiência da Rússia sob o comando de Nicolau. Em 1915, o czar assumiu pessoalmente o comando do exército, deixando a czazrina Alexandra no controle da casa. Sua corte impopular foi dominada pelo místico russo Rasputin que substituiu os ministros e oficiais competentes do czar por candidatos questionáveis 
Em março de 1917, as forças do exército juntaram-se a notáveis trabalhadores em Petrograd na demanda de reformas socialistas e Nicolau II foi solicitado a abdicar.No dia 15/03 ele renunciou o trono em favor de seu irmão Michael, o qual recusou a coroa e colocou um fim na autocracia czarista na Rússia. Nicolau, sua esposa e filhos foram levados ao Palácio de Selo Czarskoye pelo governo provincial russo e em agosto, se mudou para Tobolsk na Sibéria Ocidental, sob pressão dos Sovietes de Petrograd, uma forte coligação entre trabalhadores e soldados; concelho que dividia o poder com o Governo Provincial na primeira etapa da Revolução Russa 
Em novembro de 1917, os bolcheviques liderados por Vladmir Lênin tomaram o poder da Rússia e implantaram o primeiro Estado socialista do mundo. Em abril de 1918, Nicolau e sua família se foram transferidos para Yekaterinburg em Urals, que selou o julgamento deles. A Guerra Civil desencadeou em junho de 1918 e em julho, os anti bolcheviques (exército "branco" russo) avançaram para Yekaterinburg durante uma manifestação contra as forças bolcheviques. Autoridades locais foram ordenadas para antecipar o resgate dos Romanov, e depois de um encontro secreto dos Sovietes de Yekaterinburg, foi dada a sentença de morte à família imperial
Logo após a meia noite do dia 17/07,Nicolau, Alexandra, seus cinco filhos e 4 reitores foram ordenados a se vestirem rapidamente e descerem ao porão da casa, onde ficariam seguros. Lá, a família e os empregados ficaram dispostos em duas fileiras para posar para uma foto que estava sendo tirada para acabar com os rumores de que eles haviam escapado. De repente, uma dúzia de homens armados invadiram o quarto e atiraram a arma para a família imperial a tiroteios 
Os restos de Nicolau, Alexandra e três de seus filhos foram enterradas em uma floresta perto de Yekaterinburg e em 1991 foram positivamente identificados os DNAs a partir das digitais. A respeito do Príncipe Alexei e de uma filha Romanov, nada se explica, persistindo na lenda de que Anastásia, a Romanov mais nova, tenha sobrevivido à execução de sua família. Das várias "Anastásias" que sofreram na década posterior à da Revolução Russa, a mais convincente foi Anna Anderson, que morreu nos Estados Unidos em 1984. 
No entanto, em 1994, cientistas usaram o DNA para provar que Anna Anderson não foi a tal Anastásia, mas sim uma mulher polonesa chamada  Franziska Schanzkowska.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

William Shakespeare:Romeu e Julieta-Trecho; A "Cena do Balcão", Ato II, Cena II

Yuki Furukawa (古川雄輝)

A Viagem de Chihiro - As Metáforas por trás da História