[Análise Literária] Poema "Autopsicografia"

Autopsicografia

O poeta é um fingidor (A)
Finge tão completamente (B)
Que chega a fingir que é dor (A)
A dor que deveras sente (B)

E os que leem o que escreve, (C)
Na dor lida sentem bem, (D) 
Não as duas que ele teve, (C) 
Mas só a que eles não têm (D) 

E assim nas calhas de roda (E) 
Gira, a entreter a razão, (F) 
Esse comboio de corda (E) 
Que se chama coração (F)

(Fernando Pessoa)

Análise
1.Tema principal do poema:

O "eu lírico tem dúvidas sobre si mesmo e por isso se denomina "fingidor". Quer descobrir o mistério da sua própria poesia (por que alguém a escreve) e quem é o poeta (ele mesmo).

2. Título 
 O título "Autopsicografia" significa "a escrita da alma" e foi escolhido justamente por causa do tema (as dúvidas sobre si mesmo). Ao escrever o poema é como se estivesse retratando sua própria alma

3. Estrutura do poema
O poema está escrito em redondilha maior (ou seja, 7 sílabas poéticas). Quanto às rimas, segue o esquema rimático de ABAB/CDCD/EFEF

4. Interpretação:
O poeta se coloca primeiramente como um fingidor, mas tem seus reais sentimentos. Por isso, é bom destacar que na primeira estrofe, são mencionadas duas dores: a dor fingida ("...finge que é dor") e a real (...a dor que deveras sente).

Na segunda parte do poema há a dor lida (intelectualizada) e a dor do leitor (...só a que eles não tem).
Então...
Nessa mesma parte do poema, entende-se que o poeta escreve aquilo que sente (a dor) e os leitores também sentem (se comovem) ao ler o poema

A terceira e última parte da "Autopsicografia" é uma espécie de conclusão do texto. É como se o "eu lírico" estivesse chamando pelo seu coração, pois toda a dor que sente no poema é emocional, mas quer achar uma solução usando a razão (Gira, a entreter a razão/esse comboio de corda/Que se chama coração).

4.1. Significado das palavras
É bom destacar que as palavras "coração" e "razão" têm um sentido bem mais profundo do que se imagina, e estão relacionados com a construção do poema.
  • Coração: Simboliza as sensações/emoções a partir das quais o poema é criado 
  • Razão: Simboliza a imaginação para criar o poema 
A partir disso, pode-se dizer que o poema se fecha com a sensação-imaginação (coração-razão/pensamento).

5. Figuras de linguagem presentes no texto
Metáforas:
- O poeta é um fingidor (age igual a um fingidor)
- Calhas de roda = Razão
- Comboio de corda = Sensibilidade/Emoção.

Comentários

  1. gostaria de saber qual periodo literário se trata esse poema

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É do Modernismo Português, da poesia ortônima de Fernando Pessoa (ele mesmo)

      Excluir
  2. gostaria de saber qual periodo literário se trata esse poema

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

William Shakespeare:Romeu e Julieta-Trecho; A "Cena do Balcão", Ato II, Cena II

Yuki Furukawa (古川雄輝)

A Viagem de Chihiro - As Metáforas por trás da História