[Frases] De Repente, Ana - Marina Carvalho (Parte 2)

"Mesmo abalada, Ana sorriu. Entretanto, seu sorriso não foi capaz de esconder um novo tipo de medo que brotava dentro dela." - Alexander - (Capítulo 7 - Alex). 

"Ele exibiu seu mais inocente tipo de sorriso e me deu as costas enquanto saía do closet, exibindo sem pudor, toda a gostosura de sua retaguarda" - Ana Markov - (Capítulo 8 - Está ruim? Então se prepare que pode ficar pior).

"Eu me despedi da Ana de manhã sabendo que, provavelmente teríamos problemas nos ver de novo tão cedo. Não sou um cara egoísta - não muito - mas não me preparei para esse afastamento inesperado. Por mais que desconfiasse que Zlater daria um jeito de exigir da Ana o mínimo possível, tudo indicava que, no final das contas, sobraria muito pouco tempo para nós."- Alexander - (Capítulo 9 - Alex).

"Te espero aqui em casa. Não aceito desculpas. Te amo, lyubit" - Alexander - (Capítulo 10 - Marcada a... língua?).

"Alex abriu os braços para mim. Sem esperar que eu entrasse neles de livre vontade, enlaçou-me pela cintura e enterrou o rosto em meus cabelos" - Ana Markov - (Capítulo 11 - As garras da onça-pintada usam esmalte de grife).

"Sem mais o que argumentar, Alex e eu nos encaramos, lançando faíscas um no outro, como um domador e seu leão dentro da jaula." (Capítulo 11 - As garras da onça-pintada usam esmalte de grife).

"É verdade - concordei, lutando contra um sorriso traiçoeiro que estragava a minha expressão maligna - Mas não pense que a onça aqui só ataca gazelas sem cérebro. Se for preciso, dou uma lição até em certos lobos com pele de cordeiro. Ah, se dou!" - Ana Markov a Alexander - (Capítulo 11 - As garras da onça-pintada usam esmalte de grife).

"Comecei a ficar preocupado. Eu e a Ana raramente brigávamos, mas quando acontecia, se a culpa fosse minha, ela se fechava toda, me dando um gelo que poderia durar dias" - Alexander - (Capítulo 12 - Alex).

"Ela acariciou meus cabelos molhados, e depois meus ombros e costas, mas de um jeito inocente. Pelo seu olhar opaco, pude ver que naquela noite não haveria gritos e gemidos. Minha princesa precisava de carinho e segurança, e isso tudo era o que eu queria lhe dar também. - Alexander - (Capítulo 12 - Alex).

"Depois dessa declaração, que saiu tão naturalmente, Ana abriu um sorriso e me puxou para ela. Aconcheguei-a em meus braços, incapaz de avançar o sinal, mesmo que a toalha amarrada em minha cintura estivesse prestes a se soltar e revelar o... tamanho do amor que sentia por ela." - Alexander - (Capítulo 12 - Alex).

"Ana, os homens conseguem ser muito inocentes - justificou-se minha mãe - A cabeça deles não funciona como a nossa. Nós fazemos milhares de conexões cerebrais, enquanto as deles são menos intensas" - Dona Olívia Bernardes para sua filha Ana - (Capítulo 13 - "Mas eu me mordo de ciúmes!").

"...Não se deixe levar por um problema que não existe" - Olívia para a filha Ana - (Capítulo 13 - "Mas eu me mordo de ciúmes!").

"Quando uma ameaça é feita, não deve ser ignorada, mesmo que, no final das contas, seja apenas uma brincadeira" - Ana Markov - (Capítulo 15 - Mensagem para você). 

"Desculpe, Alex. Mas conheço aquela cabeça dura há muito mais tempo que você. Quando a Ana diz que está bem, pode apostar que é só da boca para fora. Ela adora dar uma de durona, ser a senhora da situação. Mas, por dentro, fica em frangalhos" - Estela para Alexander - (Capítulo 16 - Alex).

"Não consegui evitar um sorriso. Luka, Luce e Giovana eram meus xodós. Eu tenho outros primos, mas todos por parte de mãe. Mas os três filhos de tia Marieva, talvez por serem pequenos ainda e terem aquelas carinhas de anjo, tinham um lugar especial em meu coração." - Ana Markov - (Capítulo 17 - "Andar com fé, eu vou").

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

William Shakespeare:Romeu e Julieta-Trecho; A "Cena do Balcão", Ato II, Cena II

Yuki Furukawa (古川雄輝)

A Viagem de Chihiro - As Metáforas por trás da História