[Frases] De Repente, Ana - Marina Carvalho (Parte 1)

"Meu coração se apertou, preparando-me para o pior. Porque, se não antes, a certeza de que uma tragédia estava para ser anunciada me acertou em cheio ao vê-lo" - Ana Markov (Prólogo).

"Assim que me enxergou, Alex abriu os braços, para onde corri sem pensar duas vezes. Embrulhada por seu calor familiar, deixei escapar as lágrimas que segurava sem perceber" - Ana Markov - (Prólogo).

"Desde que nosso namoro vingou, há dois anos e meio, Alexander tem sido meu porto seguro, minha âncora nas terras de meu pai. Afinal não foi fácil me descobrir princesa da noite para o dia, a única herdeira da coroa da Krósvia, uma pequena e bem resolvida nação do Leste Europeu" - Ana Markov (Capítulo 1 - Premonições?).

"Foi a partir daí que esqueci de vez o pesadelo com Andrej. No momento em que Alex deixou clara sua intenção de encarar o nosso passeio, minha mente tratou de aproveitar os novos e mais satisfatórios tipos de pensamento que passaram a preenchê-la" - Ana Markov (Capítulo 1 - Premonições?).

"Alex apertou seus dedos mais ainda em minha pele, mas pelo menos suavizou a expressão. Como que para deixar claro para todos ao redor tipo de relação que tínhamos, puxou-me para um beijo intenso, desses que fazem os dedos dos pés dobrarem de alegria. Depois sussurrou praticamente dentro da minha boca: Comporte-se você." - Ana Markov (Capítulo 2 - E se fosse verdade?).

"Alex olhou para mim com o olhar cheio de fúria. Agarrou meus ombros e me fez encará-lo. Ignorou completamente o fato de minha mãe estar presente, podendo interpretar mal aquela reação meio animalesca. --- Eu vou fingir que não escutei esse absurdo, porque sei que está transtornada. Mas nunca mais diga que eu não me importo com o Andrej. Ele pode até ser o seu pai, ter o seu sangue, mas foi ele quem me criou. Então não desmereça meus sentimentos, Ana. --- Alexander para Ana (Capítulo 3 - Dentro do olho do furacão).

"Sei que Alex se fazia de forte, mas sofria a perda calado" (...) - Ana Markov falando sobre Alexander - (Capítulo 3 - Dentro do olho do furacão).

"Fiquei triste por ele e o abracei com força. Naquela noite, enquanto mergulhávamos nos braços um do outro, Alexander repetia sem parar que me amava e que me queria ao seu lado para sempre. Foi o mais próximo que chegou de um pedido de casamento" - Ana Markov - (Capítulo 3 - Dentro do olho do furacão).

"E ele me puxou para perto de si. Só então minha ficha caiu. Como eu estava sendo egoísta! Alexander estava com tanto medo quanto eu. Precisava de consolo também. Afinal, como ele próprio dissera na madrugada anterior, Andrej poderia até ser meu pai verdadeiro, mas significava o mesmo para Alex, há muito mais tempo, inclusive" - Ana Markov - (Capítulo 3 - Dentro do olho do furacão).

"Eu entendo quando a Ana diz que a dor dela não tem tamanho. Afinal, ela nunca perdeu ninguém muito próximo. É difícil fazer comparações quando não se consegue dimensionar esse tipo de sofrimento. Mas não cabe a mim alertá-la sobre isso. Sei que sua dor é real e imensa, porque também a sinto, duplamente, até: Por Andrej e por ela." - Alexander - (Capítulo 4 - Com a palavra, Alex).

"A partir do momento em que me permiti enxergar a Ana com outros olhos, abri as portas para um sentimento que não desejava ter" - Alexander - (Capítulo 4 - Com a palavra, Alex).

"...Porque a Ana é assim: transparente, verdadeira e apaixonada - pela vida, por tudo. Não tem como eu não amar essa garota." - Alexander - (Capítulo 4 - Com a palavra, Alex).

"Ana, Ana. Você me conhece. Não sou um cretino qualquer. Ciúme é para sujeitos inseguros!" - Alexander para Ana - (Capítulo 5 - Herdeira do trono: Uma expressão bem estranha).

"É melhor não brincar comigo, princesa" --- E sorriu, daquele jeito único e maravilhoso, que não só elevava a minúscula pinta sobre o canto esquerdo do seu lábio, como fazia meu coração  se desmanchar feito uma poça de chocolate quente --- Ana & Alex - (Capítulo 5 - Herdeira do trono, uma expressão bem estranha).

"Bem, Ana, você, a partir de agora, terá a oportunidade de perceber que um governo é regido tanto por verdades quanto por mentiras" - Ivan para Ana - (Capítulo 5 - Herdeira do trono: Uma expressão bem estranha).

"O Ivan só está dizendo que é impossível ser 100% sincero com a população, para o próprio bem dela" --- O povo é como um filho. Quando tiver os seus, vai entender o que eu estou falando" - Zlater, Primeiro Ministro da Krósvia - (Capítulo 5 - Herdeira do trono: Uma expressão bem estranha).

"Não deixe que ele a intimide com seu jeitão brusco --- ela me aconselhou --- Quem não o conhece pensa que não tem coração. Mas é um menino maravilhoso." --- Karenina para Ana --- (Capítulo 6 - De filha à rainha).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

William Shakespeare:Romeu e Julieta-Trecho; A "Cena do Balcão", Ato II, Cena II

Yuki Furukawa (古川雄輝)

A Viagem de Chihiro - As Metáforas por trás da História