Lao -Tsé (taoismo)

No século VI a.C, a China avançou para um estado de guerra intensa quando o governo da dinastia Chou desintegrou-se.
Essa mudança criou, dentro das cortes, uma nova classe social de administradores e magistrados, encarregados planejar estratégias para governar de maneira mais eficaz.
O amplo conjunto de ideias criadas por esses funcionários foi conhecido como as 100 Escolas de Pensamento.
Isso coincidiu com o surgimento da filosofia na Grécia, com a qual se partilhou algumas preocupações, como buscar estabilidade num mundo em constante mudança e alternativas ao que anteriormente fora determinado pela religião.
Mas, a filosofia chinesa evoluiu a partir da prática política, e portanto, estava preocupada com moralidade e ética, em vez da natureza dos cosmos
Uma das ideias mais importes dessa época veio do Tao Te Ching (O livro do caminho e da virtude), atribuído a Lao - Tsé. Foi uma das primeiras tentativas a propor uma teoria de governo justo, baseada na virtude (te), que poderia ser encontrada ao seguir o tao (caminho) É a base da filosofia conhecida como taoismo.
A fim de entender o conceito de tao é necessário saber como os antigos chineses viam o mundo em mutação: Para eles, as mudanças são cíclicas, movendo-se continuamente de um estado para outro - da noite para o dia, do verão para o inverno, e assim por diante. Os diferentes estados não eram considerados opostos, mas relacionados, um surgindo do outro.
Tais estados também possuiriam propriedades complementares, que juntas compõe um todo. O processo de mudança seria uma expressão do tao, conduzindo às 10 mil manifestações que formam o mundo.
Lao-Tsé no Tao Te Ching, diz que os humanos são apenas uma dessas manifestações e não tem status especial.
Por causa do nosso desejo e do livre arbítrio, podemos nos desviar do tao e perturbar o equilíbrio harmonioso do mundo.
Viver uma virtuosa significa agir de acordo com o tao. No entanto, seguir o tao não é uma questão simples, como o Tao Te Ching reconhece.
Filosofar sobre o tao é inútil, visto que ele está além de qualquer coisa que os humanos possam conceber. É caracterizado pelo wu (não ser) de modo que só podemos viver segundo o tao por meio do wu wei (não ação)
Com isso, Lao-Tsé não prega o "não fazer", mas sim, o "agir de acordo com a natureza" - espontânea e intuitivamente. 
Isso acarreta em agir sem desejo, ambição ou submissão às convenções sociais.

Comentários

Postagens mais visitadas