Hazel Grace Lancaster

Hazel Grace é a protagonista do livro "A Culpa é das Estrelas", de John Green.
Ela tem olhos verdes, pele clara, e cabelo curto.
Tem 16 anos de idade e mora em Indiana, nos Estados Unidos.
Foi diagnosticada com câncer de tireoide e metástases nos pulmões aos 13 anos de idade.
Por isso ela toma remédios e usa tubos de oxigênio que a ajudam a respirar
Sua mãe solicitou que frequentasse um Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Lá, conheceu Augustus Waters, com quem desenvolveu uma grande amizade, e logo, um romance. Também ficou amiga de Issac (que um pouco depois fica cego) e de uma menina portadora de leucemia
Parou de estudar há 3 anos, mas concluiu o Ensino Médio mais cedo, e frequentou a faculdade da cidade por um tempo, onde fez amizade com Kaitlyn.
Adora ler e seu livro favorito é "Uma aflição imperial", do escritor Peter Van Houten.
Ela quer imensamente saber o final da história do livro, tal como o que acontece com a mãe da Anne (a personagem principal) e por isso parte a uma viagem para a Holanda (junto com sua mãe e Augustus)
Também gosta de assistir ao reality show American Next Top Model sempre que pode.
Sua personalidade é difícil de se definir: Se por um lado, Hazel consegue ser uma menina carismática, atenciosa e sentimental, de outro lado ela tem um temperamento forte e é determinada.
Por ela mesma, sabe que um dia irá morrer (se compara a uma granada), e não quer depender dos outros, e nem que as pessoas vivam em função dela por causa da doença
Tem pais muito protetores que a ajudam em tudo, principalmente a mãe. Mais no final da história, seus pais explicam que a protegem para que ela não se sinta abandonada, pois se importam muito com a filha.

Frases de Hazel Grace Lancaster

"— Não posso falar da nossa história de amor, então vou falar de matemática. Não sou formada em matemática, mas sei de uma coisa: existe uma quantidade infinita de números entre 0 e 1. Tem o 0,1 e o 0,12 e o 0,112 e uma infinidade de outros.
Obviamente, existe um conjunto ainda maior entre o 0 e o 2, ou entre o 0 e o 1 milhão. Alguns infinitos são maiores que outros. Um escritor de quem costumávamos gostar nos ensinou isso.
Há dias, muitos deles, em que fico zangada com o tamanho do meu conjunto ilimitado. Queria mais números do que provavelmente vou ter, e, por Deus, queria mais números para o Augustus Waters do que os que ele teve. Mas, Gus, meu amor, você não imagina o tamanho da minha gratidão pelo nosso pequeno infinito. Eu não o trocaria por nada nesse mundo. Você me deu uma eternidade dentro dos nossos dias numerados, e sou muito grata por isso."

"— Eu sou tipo. Tipo. Sou tipo uma granada, mãe. Eu sou uma granada e, em algum momento, vou explodir, e gostaria de diminuir a quantidade de vítimas, tá?"

"Enquanto ele lia, me apaixonei do mesmo jeito que alguém cai no sono: Gradativamente e de repente."

Comentários

Postagens mais visitadas