Curiosidades sobre "A Culpa é das Estrelas"

  1. O nome da obra surgiu de uma citação da peça Julio Cesar, de William Shakespeare, que diz: “The fault, dear Brutus, is not in our stars, but in ourselves”, que em português significa: “A culpa, querido Brutus, não está nas nossas estrelas, mas em nós mesmos”.
  2. A frase “Eu me apaixonei da mesma maneira que a gente cai no sono: devagar, e então de uma vez só” foi inspirada em Hemingway, em uma frase que diz:“Como é que você vai à falência? ‘Duas maneiras: Aos poucos, então, de repente”.
  3. Existe um significado por trás do nome de Hazel: “Hazel é uma cor de transição e a personagem está no meio de um monte de coisas: entre ser saudável e ser doente, entre a infância e a idade adulta (…). Então, isso pareceu uma maneira de comunicar a instabilidade e medo (mas também emoção) dessa parte da vida”.
  4. E o mesmo acontece com Augustus Waters: “Augustus é o nome de imperadores romanos, certo? É um grande nome associado a noções tradicionais de grandeza. Mas Gus é o nome de uma criança. É curto e fofo. No livro, ele vai da força à fraqueza, que é o oposto da jornada do herói habitual. Ele começa sendo um garoto confiante e pretensioso. E então ele se torna vulnerável. Para Gus, esse é um processo brutal. Mas a sua capacidade de estar naquilo com Hazel, e de se permitir amar e ser amado, apesar da perda de si mesmo que ele cuidadosamente cultiva, é o que na minha cabeça parece muito mais heroico do que as noções tradicionais”
  5. "A Culpa é das Estrelas foi baseada na história de Esther Grace Earl, (que tinha câncer terminal) mas a personagem Hazel é criação de John Green
  6. Hazel assiste America’s Next Top Model porque John Green queria mostrar que, apesar de estar doente, ela era uma adolescente."Uma das coisas que gosto nos jovens é que eles não estabelecem uma barreira entre a alta e a baixa cultura. Eles assumem as coisas que gostam, e não veem problemas em amar America’s Next Top Model e Emily Dickinson [poetisa americana] ao mesmo tempo" (John Green)
  7. O livro fictício “Uma Aflição Imperial”, de “A Culpa é das Estrelas”, é uma mistura de relacionamento que o autor tinha com os livros. Ele se baseou em alguns de seus livros preferidos, como “A Piada Infinita”, de David Forster Wallace e “O Sangue do Cordeiro”, de Peter De Vries. 
  8. Também se diz que o livro "Uma aflição imperial" foi criado para ser um espelho de "A Culpa é das Estrelas": “Com Uma aflição imperial" eu estava tentando criar um reflexo de A culpa é das estrelas, sendo assim Hazel sentiria uma profunda conexão com a história. Seu fascínio com o que acontece com a mãe da personagem Anna é na verdade a vontade de saber o que vai acontecer com sua própria mãe quando ela morrer, e ela vê na ambiguidade do final a mesma ambiguidade de sua vida: Hazel nunca será capaz de ter certeza que sua mãe ficará bem. Voltando em 2010, eu comecei a pensar que talvez Hazel e Gus poderiam ser ligados por um livro que a garota achava particularmente poderoso, e que talvez seu desejo poderia ser conhecer o autor dessa obra. Eu tenho certeza que estava na minha mente porque eu tinha sido parte do desejo de minha amiga Esther" (John Green)
  9. “A culpa é das estrelas” é um drama que conta história de romance entre jovens (Shailene Woodley e Ansel Elgort) que enfrentam câncer. O livro é um fenômeno em vendas do mercado literário e já foi traduzido em 46 idiomas, com mais de 10,7 milhões de cópias vendidas. No Brasil é o primeiro colocado, com quase 18 mil exemplares vendidos e eleito pela revista americana Time como o livro de ficção do ano em 2012.
  10. O Diretor do filme Josh Boone mantém fidelidade ao livro, transmitindo naturalidade em sua adaptação e chegando a reproduzir trechos.
  11. A adaptação da obra para o cinema teve um orçamento enxuto de 12 milhões de dólares, o que faz do filme um dos mais lucrativos da indústria
  12. Originalmente, o autor John Green tinha uma participação especial no filme de "A Culpa é das Estrelas", mas a cena foi cortada
  13. Em dezembro de 2011, 1500 cópias do livro foram enviadas por engano antes do lançamento
  14. John Green prometeu autografar todos os livros comprados em pré-vendas, o que resultou em 150.000 livros autografados

Comentários

Postagens mais visitadas