Pular para o conteúdo principal

Rebeca Arimi Suzuki

Rebeca Arimi Suzuki

Trecho de Marília de Dirceu - Parte I - Lira 17 #01

Minha Marília,
Tu enfadada?
Que mão ousada
Perturbar pode

A paz sagrada
Do peito teu?
Porém que muito
Que irado esteja

O teu semblante
Também troveja
O claro céu
Eu sei, Marília

Que outra pastora
A toda hora
Em toda a parte
Cega namora

Ao teu pastor
Há sempre fumo;
Aonde há fogo
Assim, Marília, há zelos, logo
Que existe amor

(Marília de Dirceu - Primeira Parte - Lira 17)

Interpretação & História (com informações retiradas do livro: "Marília de Dirceu")
Assim como Maria Dorothea tinha suas estratégias de sedução por trás da indiferença (ignorando o poeta, às vezes), Gonzaga também era igualmente estrategista, e sua principal fonte para conquistar a jovem eram suas famosas poesias
Muito conhecido, pretendentes para ele é o que não faltava naquela época, e buscando mexer com os sentimentos de Marília, tratou de flertar uma aqui e outra ali, e ameaçou até mesmo reatar sua relação com a Loura Anselma, porém, rapidamente, Gonzaga se sentiu enciumado, e retratou os sentimentos nessa lira, e a parte na qual isso é mais perceptível, é na última estrofe, uma vez que a palavra "zelos", num português mais antigo, significa "ciúmes"

Minha Análise Literária
Sobre essa lira, não há muito o que comentar: Gonzaga apenas quis mexer com o coração da amada, de modo a poder perceber se a garota realmente estava interessada nele, e se era um sentimento recíproco, uma vez que, ao sentir ciúmes, Gonzaga percebe que a única que ele realmente ama é Marília, e como ele mesmo afirma na poesia: "Há zelos, logo, existe amor".
A respeito das características do Arcadismo presentes nessa lira, pode-se perceber a mais essencial de todas: o poeta se fingir de pastor, tal como a sua amada, de pastora.
Quanto à linguagem, esta continua a ser leve e simples, e as orações estão compostas na ordem direta, outra característica predominante entre os Árcades.
Com relação ao uso das palavras, a paz, considerada "sagrada" refere-se aos poucos momentos de paz que Marília possuía, os quais eram com o poeta, quando ambos se encontravam aos fins de semana, suponho. Momentos esses que, após Gonzaga "usar sua estratégia com a jovem", acabaram-se.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Yuki Furukawa (古川雄輝)

Perfil
Nome: Yuki Furukawa (古川雄輝)
Data de nascimento: 18/12/1987 (27 anos) 
Altura: 180 cm 
Peso: 60 kg
Terra natal: Tokyo, Japão
Profissão: Ator e modelo
Agência: Horipro
Línguas: Japonês e Inglês

Facebook: Yuki Furukawa Oficial
Twitter: Yuki Furukawa Oficial
Instagram: Yuki Furukawa Oficial
Blog: Yuki Furukawa Oficial 



Sobre
Yuki Furukawa é um ator e modelo do Japão. Nascido em Tokyo, ele se mudou para o Canadá, em Toronto, com sua família, quando tinha apenas 7 anos de idade. Morou 11 anos no exterior, sendo que, com 16 anos, mudou-se por conta própria a Nova York (EUA), como um estudante de pesquisa durante dois anos.
Voltou ao Japão quando tinha 19 anos. Ao regressar, teve dificuldades ao se adaptar com a língua e a cultura japonesa, já que no Japão, falar inglês no dia a dia é considerado falta de educação. 
Durante o ensino fundamental, ele pertenceu ao clube de basquete. Cursou a universidade de Keio, com especialidade para Ciências da Engenharia. 
Seu pai é médico e investigador na área de me…

William Shakespeare:Romeu e Julieta-Trecho; A "Cena do Balcão", Ato II, Cena II

Ato II- Cena II

O mesmo.
Jardim de Capuleto
Entra Romeu

Romeu:Só ri das cicatrizes quem ferida nunca sofreu no corpo
Julieta aparece na janela
Mais silêncio!Que luz ecoa agora da janela?Será Julieta, o sol daquele oriente?Surge formoso sol,e mata a Lua cheia de inveja,que se mostra pálida, e doente de tristeza,por ter visto que,como serva,és mais formosa que ela.Deixa,pois, de serví-la.
Ela é invejosa.
Somente os tolos usam sua túnica de vestal, verde e doente;joga-a fora.És minha dama.Oh,sim!É meu amor!Se ela soubesse disso!Ela fala;contudo não diz nada.Que importa?Com o olhar está falando.Vou responder-lhe.
Não,sou muito ousado,não se dirige a mim.As duas estrelas do céu, as mais formosas,tendo tido qualquer ocupação,aos olhos dela pediram que brilhassem nas esferas até que elas voltassem.
Que se dera se ficassem lá no alto dos olhos dela,e em sua cabeça dois luzeiros?Suas faces nitentes(resplandecentes,brilhantes)deixariam corridas às estrelas, como o dia faz com a luz das candeias, e seus o…

A Viagem de Chihiro - As Metáforas por trás da História

A Viagem de Chihiro é uma das obras primas mais famosas de Hayao Miyazaki, e que mais ganhou premiações pela história bem elaborada.
Chihiro é uma menina de dez anos, que, por casos da vida, entra em um túnel com os pais (que por sinal, estavam curiosos para saber onde a passagem ia dar) e acaba parando em um mundo paralelo, cheio de mistérios e criaturas mágicas.

Sen to Chihiro no Kamikakushi (千と千尋の神隠し, nome original do filme) é, na verdade um jogo de palavras. Sen é uma palavra que tanto pode fazer referência ao nome que a protagonista, Chihiro, adquire durante o filme, ou "mil", "muitos" ou ainda "múltiplos". Além disso, a junção das duas primeiras palavras forma "Sento", que significa "Casa de Banho", onde a maior parte da história se passa.
O filme é composto de diversas metáforas e simbolismos tais como:

A metáfora dos porcos, quando os pais de Chihiro vão ao restaurante com a menina e são tranformados em porcos - Isso representa a…