Trecho da poesia de "Marília de Dirceu" (+ Análise)

"Eu vi o meu semblante numa fonte,
Dos anos inda não está cortado;
Os pastores que habitam nesse mundo
Respeitam o poder do meu cajado
(...)
Graças, Marília bela
Graças à minha estrela"
(Marília de Dirceu - 1° parte - Lira I)

Interpretação
Nessa parte da poesia, o autor quer mostrar que, apesar de ser mais velho que a amada (ele tinha, na verdade, mais que o dobro da idade de Marília), ainda não aparentava estragos da idade.

Análise literária:
Pertencente à escola liiterária do Arcadismo, Gonzaga descreve a si mesmo, como se fosse um pastor, característica marcante entre os árcades. Isso pode ser percebido em dois versos: "Os pastores que habitam nesse mundo/Respeitam o poder do meu cajado".
Como o resto dos poetas, Gonzaga idealiza a mulher amada (Marília), chamando-a de "bela", assim, como "minha estrela", uma metáfora usada para descrever o quanto Marília era brilhante e formosa!

Em seguida...
...Para mostrar e jurar a Marília, a sua fidelidade, teria de demonstrar que dava por encerrada a vida de namorador e já se via casado com sua musa:

"Enquanto resolver os meus Consultos
Tu me farás gostosa companhia
Lendo os fatos da sábia, mestra História
E os cantos da poesia"
(Marília de Dirceu - 3° parte - Lira III)

Análise Literária
O modo como Gonzaga fala sobre a História, e as obras que a compõe, tal como refere-se à amada no segundo verso "Tu me farás gostosa companhia", mostram realmente, a maturidade do homem em relação à Marília

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

William Shakespeare:Romeu e Julieta-Trecho; A "Cena do Balcão", Ato II, Cena II

Yuki Furukawa (古川雄輝)

A Viagem de Chihiro - As Metáforas por trás da História