Pular para o conteúdo principal

Rebeca Arimi Suzuki

Rebeca Arimi Suzuki

Os Sete deuses da sorte - Shichi Fukijin

"Shichi Fukujin" significa literalmente "sete deuses da sorte"
Dizem que eles trazem sorte, felicidade, e são precusores da saúde, conhecimento, riquza, prosperidade, etc
Essa crença japonesa, tem origem há aproximadamente 500 anos atrás, com a economia do Japão em crise, devido às inúmeras Guerras na Era Murumachi (1392-1573), na esperança de melhorias e ganhos.
Desde então, faz parte da cultura, mitologia e do folclore japonês, e estão associados ao Ano Novo, para que traga boas energias a um ano que se iniará
Praticamente desconhecida no ocidente, a lenda remonta suas origens em Kyoto (antiga capital japonesa) através da aoração de figuras que representavam as religiões (xintoísmo, taoísmo, e budismo), num período no qual as pessoas ansiavam por colheitas abundantes (a gente não pode passar fome por tanto tempo, né?) e por uma grande prosperidade no país!
Durante esse período os negócios começaram a tomar forma, e as pessoas a ficar cada vez mais interessados em buscar recursos para o seu autodesenvolvimento e benefício próprio.
Entretanto, foi no período Edo (1600-1867) que os sete deuses começaram a ser cultuados com bastante fervor, e deu-se início à peregrinação dos "shichi-fukun-jin", em visita aos santuários dos deuses a quem eles iam rezar para ter um bem-estar na família e sucesso no trabalho.
É bom lembrar que, para muitas culturas, tanto ocidentas como orientais, o número sete tem grande valor místico.
No budismo, para que alma de alguém alcance a iluminação, ela precisa reencarnar 7 vezes, assim como as pessoas tem de ficar 7 meses de lamentações após um falescimento, ou no dia sete de janeiro comer um mingau com as sete ervas da primavera, ou no outono fazzer um arranjo, com as sete flores desta estação.
Tal como tudo isso, há os sete deuses da sorte, dos quais, apenas um, chamado Ebisu, tem origem no Japão, e os demais tem suas origens em outros países da Ásia, como, por exemplo, a China e a Índia, considerando-se ainda que há só uma deusa mulher no grupo, cujo nome é Benten.
Mas, chega de apresentações, fato é que existem sete deuses sagrados ao povo japonês, que são:
Deusa Benten
Benten: É a única mulher entre a sete divindades, e é a deusa de tudo o que flui, e entre todos os elementos que reoresenta, destacam-se: a beleza, as artes, e o conhecimento, por exemplo. Ela é muito associada às águas, e aos rios.
Ainda contam que, na época antiga, os samurais oediam ajuda à deusa, e dela recebiam orientações.
Segundo algumas lendas, ela tem o poder de se transformar em uma serpente.
Originalmente, na Índia, é representadfa com 8 braços, e com eles segurava o arco, a flecha, espada, machado, lança, pilão de comprimento, rodas de ferro e corda de seda. Porém, depois retratada com dois braços, carregando apenas um instrumento musical.
Há quem acredite também, que ter um retrato da deusa, faz desenvolver habilidades artísticas (vai saber se é verdade...se for assim, eu também quero um!)
Deus Bishamon
Bishamon: É considerado o deus da guerra e dos guerreiros no xintoísmo.
Sua origem é hindu e é considerado o protetor de Buda e suass leis, e por isso, o guardião de tesouros (o tesouro é a sabedoria de Buda)
Nas lendas, é representado usando uma armadura, segurando uma lança ou uma roda de fogo.
Protege contra as doenças, as enfermidades, os males, e os demônios, e dá boa sorte aos que tem coração puro (pessoas dignas de receber) e as pobres (que necessitam de ajuda)
Deus Daikoku
Daikoku: É o deus das riquezas e do comércio, dos fazendeiros (protege as colheitas), dos homens de negócios.
É originário da Índia, e veio ao Japão, através do Tibet e da China
É representado segurando um martelo, que ao bater, gera sorte (ou moedas de ouro, em outras versões) e simbolicamente, a martelada representa o trabalho.
Também carrega um saco, que, dentro dele há tesouros: em tempos remotos, era o arroz, para suprerar a fome. Atualmente os "tesouros" são sabedoria e paciência.
Há quem acredite que a imagem do deus, em casa ou em estabelecimentos comerciais, garante progresso nos negócios

Deus Ebisu
Ebisu: É o único originário do Japão, e seu nome verdadeiro é Hiruko e nasceu sem ossos, por causa da transgressão de sua mãe durante o ritual de casamento.
Por ter nascido muito fraco e não conseguir andar, ele foi lançado ao mar em um barco, antes de completar seu terceiro aniversário.
Por ter vindo do mar, é o deus dos pescadores do oceano, das viagens marítimas, mas também é o guardião dos arrozais e da agricultura em geral, e protetor das pequenas crianças.
É também considerado o deus do trabalho e da honestidade, e ter sua imagem garante sucesso no trabalho.
Deus Fukurokuju
Fukurokuju: É o deus da longividade, felicidade e da riqueza, e é originário da China.
Carrega um pergaminho com toda a sabedoria do mundo, e é muitas vezes confundido com Jurojin, por terem aparências semelhantes e estarem relacionados aos simbolos da longividade (tartaruga, tsuru, veado).
O que separa o deus dos demais, é o fato de que só ele pode ressucitar os mortos.
Simboliza a popularidade
Quem ganhar uma estátua dele tende a ficar popular, e garante a vida longa
Passar a mão na cabeça dele, melhora a inteligência
Deus Hotei
Hotei: É também conhecido como o Buda risonho, e é retratado como um monge budista que viveu na China no século X.
É o senhor da generosidade humana e patrono das crianças pobres, para quem entrega os presentes contidos em sua grande bolsa (parece Papai Noel, né? rsrs)
Dizem que Hotei tem recursos para todos aqueles que desejam atingir a serenidade completa.
Seu grande abdômen não representa a gula, mas a satisfação.
Sempre foi muito sorridente, de bem com a vida, e muito amado pelo povo.
Dizem que mesmo na neve seu corpo nunca se molhou, pois sempre acertou as previsões do tempo, e nunca errou sobre a sorte das pessoas
Segundo a crença popular, ter a imagem desse deus, espanta as preocupações.
Deus Jurojin
Jurojin: Também conhecido como Gama, apareceu na China no século XI.
É o deus da sabedoria e da longividade.Segura um pergaminho e copo de saquê, e sempre anda em suas jornadas, acompanhado de veados, tsurus e tartarugas, simbolos da longividade.
Apreciar uma imagem dessa divindade, segundo a crença popular, traz sabedoria e vida longa.

Fontes de pesquisa:
http://www.magiadourada.com.br/setedeuses.html
http://www.japaoemfoco.com/shichi-fukujin-os-7-deuses-da-sorte/
http://bakas-em-tokyo.blogspot.com.br/2013/06/os-sete-deuses-da-felicidade.html

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Yuki Furukawa (古川雄輝)

Perfil
Nome: Yuki Furukawa (古川雄輝)
Data de nascimento: 18/12/1987 (27 anos) 
Altura: 180 cm 
Peso: 60 kg
Terra natal: Tokyo, Japão
Profissão: Ator e modelo
Agência: Horipro
Línguas: Japonês e Inglês

Facebook: Yuki Furukawa Oficial
Twitter: Yuki Furukawa Oficial
Instagram: Yuki Furukawa Oficial
Blog: Yuki Furukawa Oficial 



Sobre
Yuki Furukawa é um ator e modelo do Japão. Nascido em Tokyo, ele se mudou para o Canadá, em Toronto, com sua família, quando tinha apenas 7 anos de idade. Morou 11 anos no exterior, sendo que, com 16 anos, mudou-se por conta própria a Nova York (EUA), como um estudante de pesquisa durante dois anos.
Voltou ao Japão quando tinha 19 anos. Ao regressar, teve dificuldades ao se adaptar com a língua e a cultura japonesa, já que no Japão, falar inglês no dia a dia é considerado falta de educação. 
Durante o ensino fundamental, ele pertenceu ao clube de basquete. Cursou a universidade de Keio, com especialidade para Ciências da Engenharia. 
Seu pai é médico e investigador na área de me…

William Shakespeare:Romeu e Julieta-Trecho; A "Cena do Balcão", Ato II, Cena II

Ato II- Cena II

O mesmo.
Jardim de Capuleto
Entra Romeu

Romeu:Só ri das cicatrizes quem ferida nunca sofreu no corpo
Julieta aparece na janela
Mais silêncio!Que luz ecoa agora da janela?Será Julieta, o sol daquele oriente?Surge formoso sol,e mata a Lua cheia de inveja,que se mostra pálida, e doente de tristeza,por ter visto que,como serva,és mais formosa que ela.Deixa,pois, de serví-la.
Ela é invejosa.
Somente os tolos usam sua túnica de vestal, verde e doente;joga-a fora.És minha dama.Oh,sim!É meu amor!Se ela soubesse disso!Ela fala;contudo não diz nada.Que importa?Com o olhar está falando.Vou responder-lhe.
Não,sou muito ousado,não se dirige a mim.As duas estrelas do céu, as mais formosas,tendo tido qualquer ocupação,aos olhos dela pediram que brilhassem nas esferas até que elas voltassem.
Que se dera se ficassem lá no alto dos olhos dela,e em sua cabeça dois luzeiros?Suas faces nitentes(resplandecentes,brilhantes)deixariam corridas às estrelas, como o dia faz com a luz das candeias, e seus o…

A Viagem de Chihiro - As Metáforas por trás da História

A Viagem de Chihiro é uma das obras primas mais famosas de Hayao Miyazaki, e que mais ganhou premiações pela história bem elaborada.
Chihiro é uma menina de dez anos, que, por casos da vida, entra em um túnel com os pais (que por sinal, estavam curiosos para saber onde a passagem ia dar) e acaba parando em um mundo paralelo, cheio de mistérios e criaturas mágicas.

Sen to Chihiro no Kamikakushi (千と千尋の神隠し, nome original do filme) é, na verdade um jogo de palavras. Sen é uma palavra que tanto pode fazer referência ao nome que a protagonista, Chihiro, adquire durante o filme, ou "mil", "muitos" ou ainda "múltiplos". Além disso, a junção das duas primeiras palavras forma "Sento", que significa "Casa de Banho", onde a maior parte da história se passa.
O filme é composto de diversas metáforas e simbolismos tais como:

A metáfora dos porcos, quando os pais de Chihiro vão ao restaurante com a menina e são tranformados em porcos - Isso representa a…