O louco, o lápis, e o papel

Um louco, num hospício, chamou a enfermeira, pediu papel e lápis e começou a escrever.
Escreveu e escreveu o dia inteiro. De vez em quando parava para pensar, coçava a cabeça e continuava a escrever.
Às vezes, mordia o lápis e ficava sério. Depois ria, olhava para cima, escrevia.
Vez por outra, ficava emocionado, e até chorava
Admirada, a enfermeira achou melhor chamar o médico.
Quando o médico veio, o louco já tinha escrito mais de 79 páginas
-O que você está fazendo? - Quis saber o médico
-Não está vendo? Estou escrevendo uma carta
-Posso saber para quem?
O louco olhou dentro dos ollhos do médico:
-Pra mim mesmo!
Surpreso, o médico perguntou:
-Puxa, que interessante! E sobre o que está escrevendo?
O louco deu risada:
-Como vou saber, se ainda nem recebi a carta?!

Fonte:
Livro: Vou-me embora desta terra, é mentira, eu não vou não!
Autor e Ilustrador: Ricardo Azevedo
Editora:Moderna
Edição: Primeira
Ano de Publicação: 2008
Capa dura

Comentários

  1. Eu gostei dessa página, pois ela me ajudou a fazer meu trabalho. Muito bom quem escreveu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Fico feliz em ter ajudado!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

William Shakespeare:Romeu e Julieta-Trecho; A "Cena do Balcão", Ato II, Cena II

Yuki Furukawa (古川雄輝)

A Viagem de Chihiro - As Metáforas por trás da História