Pular para o conteúdo principal

Rebeca Arimi Suzuki

Rebeca Arimi Suzuki

O Gigante cabeça de Pedra

Para os antigos vikings, Odin era o deus do universo.
Habitava um grande palácio nas nuvens, no reino de Asgaard.
Um dia, apareceu em sua corte, um gigante de cabeça de pedra estranha, montado em um belo cavalo de crina dourada
No início, Odin ficou feliz por ter um visitante, porém depois disso, o gigante começou a fazer das suas: bebeu cerveja demais e ameaçou levar duas lindas deusas para a sua terra.
Foi então que Odin mandou chamar seu filho Thor, o mais poderoso de todos os deuses
Thor obedeceu e chegou o mais rápido possível. Entrou no palácio voando e rodando seu martelo mágico no ar.
-Quem é esse este hóspede, que perturba a casa de meu pai - perguntou
-Sou um convidado - disse o gigante, bêbado - fico aqui o tempo que eu quiser!
Thor disse apenas:
-Levante-se, Cabeça de Pedra, para que eu lhe dê a surra que merece!!
Mas, o gigante disse que preferia lutar fora do palácio, no alto de um rochedo.
Thor concordou. Logo que começou a batalha, Thor atirou seu martelo mágico contra o Cabeça de Pedra.
O gigante defendeu-se, jogando uma imensa pedra na direção de Thor.
Porém, despencou bem em cima de Thor, que mesmo vitorioso, não podia se mover
-Chamem Odin! - Berrou Thor, furioso.
Odin chegou, acompanhado de todos os seus guerreiros, mas ninguém conseguia ajudar aquelas duas crianças fortíssimas, tombadas no chão
Até que surgiu Magni, filho caçula de Thor.
Ele só tinha 3 anos, mas já era da altura de um homem.
Magini aproximou-se do pai e, esticando o dedinho, levantou a perna do gigante para que Thor pudesse sair daquela enrascada
Thor ficou muito feliz com a ajuda do filho, e lhe deu o cavalo do gigante como recompensa.
Houve um grande banquete no palácio, e todos comeram felizes, menos o velho Odin, que queria ter ficado com o cavalo de crina dourada.
Mas, no final da festa, até mesmo ele, já estava bem alegre, dançando, cantando, e celebrando a vitória do filho e do neto.
(História da mitologia viking)
Fonte:
Livro: Lá vem Histórias - Contos do folclore mundial
Escrito por: Heloísa Prieto
Ilustrado por: Daniel Kondo
Editora: Companhia das Letras

Comentários

  1. me ajudou muito pois vou fazer uma pessa com esse texto serei uma das duas deusa muito legal esse texto

    ResponderExcluir
  2. Que bom que te ajudou!
    Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Yuki Furukawa (古川雄輝)

Perfil
Nome: Yuki Furukawa (古川雄輝)
Data de nascimento: 18/12/1987 (27 anos) 
Altura: 180 cm 
Peso: 60 kg
Terra natal: Tokyo, Japão
Profissão: Ator e modelo
Agência: Horipro
Línguas: Japonês e Inglês

Facebook: Yuki Furukawa Oficial
Twitter: Yuki Furukawa Oficial
Instagram: Yuki Furukawa Oficial
Blog: Yuki Furukawa Oficial 



Sobre
Yuki Furukawa é um ator e modelo do Japão. Nascido em Tokyo, ele se mudou para o Canadá, em Toronto, com sua família, quando tinha apenas 7 anos de idade. Morou 11 anos no exterior, sendo que, com 16 anos, mudou-se por conta própria a Nova York (EUA), como um estudante de pesquisa durante dois anos.
Voltou ao Japão quando tinha 19 anos. Ao regressar, teve dificuldades ao se adaptar com a língua e a cultura japonesa, já que no Japão, falar inglês no dia a dia é considerado falta de educação. 
Durante o ensino fundamental, ele pertenceu ao clube de basquete. Cursou a universidade de Keio, com especialidade para Ciências da Engenharia. 
Seu pai é médico e investigador na área de me…

William Shakespeare:Romeu e Julieta-Trecho; A "Cena do Balcão", Ato II, Cena II

Ato II- Cena II

O mesmo.
Jardim de Capuleto
Entra Romeu

Romeu:Só ri das cicatrizes quem ferida nunca sofreu no corpo
Julieta aparece na janela
Mais silêncio!Que luz ecoa agora da janela?Será Julieta, o sol daquele oriente?Surge formoso sol,e mata a Lua cheia de inveja,que se mostra pálida, e doente de tristeza,por ter visto que,como serva,és mais formosa que ela.Deixa,pois, de serví-la.
Ela é invejosa.
Somente os tolos usam sua túnica de vestal, verde e doente;joga-a fora.És minha dama.Oh,sim!É meu amor!Se ela soubesse disso!Ela fala;contudo não diz nada.Que importa?Com o olhar está falando.Vou responder-lhe.
Não,sou muito ousado,não se dirige a mim.As duas estrelas do céu, as mais formosas,tendo tido qualquer ocupação,aos olhos dela pediram que brilhassem nas esferas até que elas voltassem.
Que se dera se ficassem lá no alto dos olhos dela,e em sua cabeça dois luzeiros?Suas faces nitentes(resplandecentes,brilhantes)deixariam corridas às estrelas, como o dia faz com a luz das candeias, e seus o…

A Viagem de Chihiro - As Metáforas por trás da História

A Viagem de Chihiro é uma das obras primas mais famosas de Hayao Miyazaki, e que mais ganhou premiações pela história bem elaborada.
Chihiro é uma menina de dez anos, que, por casos da vida, entra em um túnel com os pais (que por sinal, estavam curiosos para saber onde a passagem ia dar) e acaba parando em um mundo paralelo, cheio de mistérios e criaturas mágicas.

Sen to Chihiro no Kamikakushi (千と千尋の神隠し, nome original do filme) é, na verdade um jogo de palavras. Sen é uma palavra que tanto pode fazer referência ao nome que a protagonista, Chihiro, adquire durante o filme, ou "mil", "muitos" ou ainda "múltiplos". Além disso, a junção das duas primeiras palavras forma "Sento", que significa "Casa de Banho", onde a maior parte da história se passa.
O filme é composto de diversas metáforas e simbolismos tais como:

A metáfora dos porcos, quando os pais de Chihiro vão ao restaurante com a menina e são tranformados em porcos - Isso representa a…