Lenda sobre o Monte Fuji

A deusa do Monte-Fuji, chamada Sengen, também conhecida como Konohana Sakuya Hime, pairava nas nuvens luminosas, assistida por seus súditos, que, por sua vez ameaçavam atiram nas profundezas de qualquer peregrino que não tivesse coração puro.
Há uma lenda muito conhecida a respeito do Monte Fuji, e sua deusa, que protegia os indíviduos honestos, e o jovem Yosoji, tinha o coração extremamente puro, que em tempos longínquos, encontrava-se desesperado pela mãe que estava enferma, vítima de varíola.
O homem, então resolveu consultar o místico Kamo Yamakiko, uma espécie de feiticeiro da aldeia, para saber o que fazer para a sua mãe melhorar, pois a qualquer momento poderia ser arrebatada pela morte.
O feiticeiro mandou Yosoji ir a um regato que descia do lado sudeste do Monte Fuji.
“Perto da nascente deste regato está o altar do Deus da Longa Vida. Tome dessa água e dê para sua mãe beber. Isso bastará para curá-la, concluiu o feiticeiro”.
Sengen-sama, a Deusa do Fuji (Imagem reprodução da arte de Rhaine Elric)
Cheio de esperança, Yosoji encetou marcha rumo ao regato e, quando chegou a uma encruzilhada, ficou em dúvida quanto à direção tomar. Enquanto ponderava a respeito viu que dele se aproximava, vinda da floresta, uma linda jovem vestida de branco que lhe disse para segui-la até o lugar onde nascia o precioso regato junto ao altar do Deus de Longa Vida.

Uma vez no local, ela lhe disse que bebesse e que enchesse a cuia com aquela água borbulhante para dar a sua mãe.
Feito isso, a linda jovem o acompanhou até o ponto que haviam se encontrado e disse: “Encontre-me neste mesmo lugar dentro de três dias, porque você precisará de mais doses desta água”.
Depois de cinco visitas a esse local sagrado, Yosoji exultou ao ver que sua mãe estava muito bem, como muitos dos aldeões que haviam tido o privilégio de beber daquela sagrada água.
 A bravura de Yosoji foi proclamada em alto e bom tom, juntamente com o feiticeiro que recebeu muitos presentes devido a seu conselho oportuno.
O jovem, porém, que era uma pessoa honesta, no fundo de seu coração sabia que todo louvor cabia à linda jovem que havia sido seu guia.
Desejava agradecer-lhe muito e, com essa finalidade, uma vez mais rumou para o regato.
Ao chegar ao altar do Deus da Longa Vida, viu que o regato havia secado.
Muito surpreso e com grande tristeza no coração, ajoelhou-se e pediu que aparecesse aquela que havia sido tão boa para sua mãe, pois o que ele mais desejava era poder agradecer tanto quanto ela merecia.
Após a súplica, Yosoji levantou a cabeça e viu a moça diante de si.
Então, com palavras elegantes e sinceras, expressou toda a sua gratidão.
Pediu a ela, que havia sido seu guia e a quem devia o restabelecimento de sua mãe, dissesse como se chamava. Porém, a jovem, embora sorrisse docemente, calava seu nome.
Sempre sorrindo, ela sacudiu no ar um galho de camélia e pareceu que as belas flores acenavam para algum espírito invisível que estavam à distância.
Em resposta ao aceno florido, desceu uma nuvem do Monte Fuji que envolveu a linda jovem e a transportou para amontanha sagrada de onde ela viera.
Dado esse fato, Yosoji ficou sabendo que a Deusa do Fuji fora sua guia.
Ajoelhou-se em êxtase, observando a figura que partia e teve consciência de que, além de agradecimento, em seu coração existia amor.
Durante a ascensão, a Deusa do Fuji lhe atirou o galho de camélia.
Uma lembrança ou talvez um sinal de que ela o amava também.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

William Shakespeare:Romeu e Julieta-Trecho; A "Cena do Balcão", Ato II, Cena II

Yuki Furukawa (古川雄輝)

A Viagem de Chihiro - As Metáforas por trás da História