Pular para o conteúdo principal

Rebeca Arimi Suzuki

Rebeca Arimi Suzuki

Arte da Grécia Antiga

Os Gregos foram os primeiros artistas da história, e o tempo em que foram construídas as obras podem ser divididos em 4 peródos diferentes: o geométrico, o arcaico, o clássico, e o helenísco. Ou seja, desde o príncípio até as invasões da Grécia (chegada dos povos Jônico, Dórico e Coríntio, no país, e sendo assim, a arquitetura e arte também sofreram inflências destes)
Vale ressaltar que, nos tempos antigos, a arte grega em si, era voltada à religião, tendo a presença de diversos templos dedicados aos deuses, como Atena & Zeus, por exemplo, além monumentos históricos, e/ou pontos túristicos que perduram até a atualidade.
Arte Geométrica
Período Geométrico (séculos VIII & IX a.C)
Período em que arte se restringia à decoração de pequenos utensílios, em estilo simples e sóbrio, sendo compostas por variações e combinações criativas tais como curvas, triângulos, losangos, linhas quebradas ou continuas, etc. Havia a introdução de figuras (humanas/animais) que retratavam cenas de um acontecimento da Grécia, como por exemplo, as guerras

Período Arcaico
Fase Orientalizante
Fase Arcaica
Há duas fases da Arte Arcaica: Orientalizante (até aproximadamente 650 a.C.),e a Arcaica propriamente dita:(finais do séc. VII até cerca de 480 a.C.)
Na primeira fase, verifica-se a influência oriental, e a valorização do figfurativo, retratando seres mitológicos como: o grifo, a esfinge e as górgonas, por exemplo.
Já na fase Arcaica se apresentam as cerêmicas e as pinturas a negro, e dentre as inovações desta fase, encontram-se além das representações de figuras da mitológica, a preocupação em retratar a família e o cotidiano, sendo que as figuras eram retratadas com maior precisão e realismo.

Estilo Clássico:
Aperfeiçoamento das técnicas já existentes, e o aparecimento do uso da perspectiva, dinaminismo, com superfícies cobertas a verniz, e foi um período no qual predominaram a racionalidade filosófica, a naturalidade e grande expressividade, como uma enorme liberdade criadora, uma das características marcantes da época~.

Na Época Helenística, que remonta o período de expansão territorial de Alexandre Magno, novas formas de arte aparecem, e a cerâmica, por ser um elemento bastante clássico, acaba desaparecendo

Fontes:
http://umolharsobreaarte.blogs.sapo.pt/tag/cerâmica+grega
http://philosophiagrega.no.comunidades.net/index.php?pagina=1162616466

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Yuki Furukawa (古川雄輝)

Perfil
Nome: Yuki Furukawa (古川雄輝)
Data de nascimento: 18/12/1987 (27 anos) 
Altura: 180 cm 
Peso: 60 kg
Terra natal: Tokyo, Japão
Profissão: Ator e modelo
Agência: Horipro
Línguas: Japonês e Inglês

Facebook: Yuki Furukawa Oficial
Twitter: Yuki Furukawa Oficial
Instagram: Yuki Furukawa Oficial
Blog: Yuki Furukawa Oficial 



Sobre
Yuki Furukawa é um ator e modelo do Japão. Nascido em Tokyo, ele se mudou para o Canadá, em Toronto, com sua família, quando tinha apenas 7 anos de idade. Morou 11 anos no exterior, sendo que, com 16 anos, mudou-se por conta própria a Nova York (EUA), como um estudante de pesquisa durante dois anos.
Voltou ao Japão quando tinha 19 anos. Ao regressar, teve dificuldades ao se adaptar com a língua e a cultura japonesa, já que no Japão, falar inglês no dia a dia é considerado falta de educação. 
Durante o ensino fundamental, ele pertenceu ao clube de basquete. Cursou a universidade de Keio, com especialidade para Ciências da Engenharia. 
Seu pai é médico e investigador na área de me…

William Shakespeare:Romeu e Julieta-Trecho; A "Cena do Balcão", Ato II, Cena II

Ato II- Cena II

O mesmo.
Jardim de Capuleto
Entra Romeu

Romeu:Só ri das cicatrizes quem ferida nunca sofreu no corpo
Julieta aparece na janela
Mais silêncio!Que luz ecoa agora da janela?Será Julieta, o sol daquele oriente?Surge formoso sol,e mata a Lua cheia de inveja,que se mostra pálida, e doente de tristeza,por ter visto que,como serva,és mais formosa que ela.Deixa,pois, de serví-la.
Ela é invejosa.
Somente os tolos usam sua túnica de vestal, verde e doente;joga-a fora.És minha dama.Oh,sim!É meu amor!Se ela soubesse disso!Ela fala;contudo não diz nada.Que importa?Com o olhar está falando.Vou responder-lhe.
Não,sou muito ousado,não se dirige a mim.As duas estrelas do céu, as mais formosas,tendo tido qualquer ocupação,aos olhos dela pediram que brilhassem nas esferas até que elas voltassem.
Que se dera se ficassem lá no alto dos olhos dela,e em sua cabeça dois luzeiros?Suas faces nitentes(resplandecentes,brilhantes)deixariam corridas às estrelas, como o dia faz com a luz das candeias, e seus o…

A Viagem de Chihiro - As Metáforas por trás da História

A Viagem de Chihiro é uma das obras primas mais famosas de Hayao Miyazaki, e que mais ganhou premiações pela história bem elaborada.
Chihiro é uma menina de dez anos, que, por casos da vida, entra em um túnel com os pais (que por sinal, estavam curiosos para saber onde a passagem ia dar) e acaba parando em um mundo paralelo, cheio de mistérios e criaturas mágicas.

Sen to Chihiro no Kamikakushi (千と千尋の神隠し, nome original do filme) é, na verdade um jogo de palavras. Sen é uma palavra que tanto pode fazer referência ao nome que a protagonista, Chihiro, adquire durante o filme, ou "mil", "muitos" ou ainda "múltiplos". Além disso, a junção das duas primeiras palavras forma "Sento", que significa "Casa de Banho", onde a maior parte da história se passa.
O filme é composto de diversas metáforas e simbolismos tais como:

A metáfora dos porcos, quando os pais de Chihiro vão ao restaurante com a menina e são tranformados em porcos - Isso representa a…