Amantes - Pablo Neruda

Amantes

Dois amantes felizes não têm fim nem morte,
Nascem e morrem tanta vez enquanto vivem,
São eternos como é a natureza.

Pablo Neruda
(In: Vinte poemas y una canción desesperada)
Também pode gostar de:
  1. Se sou amado
  2. A dança
  3. Saudade
  4. Gosto quando te calas
Leia mais em:

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

William Shakespeare:Romeu e Julieta-Trecho; A "Cena do Balcão", Ato II, Cena II

Yuki Furukawa (古川雄輝)

A Viagem de Chihiro - As Metáforas por trás da História