Soneto 17- Shakespeare


"Se te comparo a um dia de verão
És por certo mais belo e mais ameno,
O vento espalha as folhas pelo chão,
E o tempo do verão é bem pequeno.

Às vezes brilha o sol em demasia,
Outras vezes, demasia com frieza,
O que é belo declina num só dia,
Na terna mutação da natureza.

Mas em ti, o verão será eterno,
E a beleza que tens não perderás
Nem chegarás da morte ao triste inverno,

Nestas linhas, com o tempo crescerás
E enquanto nesta terra houver um ser,
Meus versos vivos te farão viver."
William Shakespeare
Célebre escritor e dramaturgo renascentista

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

William Shakespeare:Romeu e Julieta-Trecho; A "Cena do Balcão", Ato II, Cena II

Yuki Furukawa (古川雄輝)

A Viagem de Chihiro - As Metáforas por trás da História