Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2012

Mercantilismo e a Colonização Brasileira

I)Introdução Uma das estratégias utilizadas pelos portugueses para que lucrassem foi a chamada colonização. Porém, o Brasil, passou por um período Pré Colonial(1500 a 1530), pois Portugal, a princípio, não tinha nenhum interesse pela terra que diziam ser  "descoberta" ou "achada", dizendo que no Brasil não havia vestígios de ouro ou prata, ou nada que fosse beneficiar o comércio europeu que, por sinal, tinha seus princípios mercantilistas. II)Os primeiros anos Como havia um grande desinteresse pelas terras brasileiras, a primeira atividade que os lusos realizaram foi a extração do Pau Brasil , que os europeus conseguiam através da prática do escambo(troca de uma mercadoria por objetos sem valor algum) com os indígenas. Contudo, a extração desta madeira se espalhou por todo o continente europeu, atraindo muitos países, especialmente a França, pois esta mesma possuía uma enorme produção têxtil  e como a faziam em grande escala, desejavam ter o Pau Brasil, como u

A Reforma Religiosa

I)Introdução Por muito tempo, a Igreja detinha o maior poder durante toda a Idade Média,porém a mesma que tinha o poder espiritual, também passou a ter o temporal, e não era mais capaz de saciar todas as curiosidades do povo, além de dizer muitas inverdades às pessoas, como por exemplo, a ideia de que quanto mais se autoflagelasse seria perdoado de seus pecados, ou se estava enfermo era porque havia cometido vários deles, entre outras, assim, eclodiu-se a Reforma Protestante. Houveram nesta época "três tipos de reformas" a)Luterana-A principal delas, iniciada na Alemanha, por Martinho Lutero. b)Calvinista-Realizada por João Calvino, na Suíça c)Anglicana-Teve origem na Inglaterra,com o rompimento do Rei Henrique VIII, com a Igreja Católica. E, ente todas destacou-se a de Lutero II)Reforma Protestante. a)Causas da Reforma -Venda de objetos religiosos(simonia) -Padres e/ou sacerdotes que não conheciam a doutrina Católica, nem ao menos ler ou escrever. -A Igreja conden